PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 25 de abril de 2007

Para que respeitem a Terra

“Vocês devem ensinar as suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem as suas crianças o que ensinamos as nossas que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos. Isto sabemos: a terra não pertence ao homem, o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisa estão ligadas como o sangue que une a família. Há uma ligação em tudo.” Chefe Seattle

No 50º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos foi promovido o movimento “Cultura de Paz” (UNESCO). Isso foi em 1988 e as seis diretrizes básicas do movimento são pesos importantes na preservação do planeta. Preservar a Terra. Respeitar todo tipo de vida do planeta. Buscar a solidariedade. Ouvir para compreender. Ser generoso. Rejeitar a violência.
A Terra está em agonia... todos somos responsáveis! Na ética contemporânea essa é uma verdade mundial. O diagnóstico é esse, mesmo que não queiram ver. Um aquecimento de 6ºC é o previsto para este século. E o que tem isso?... muita coisa. Sabe a era do gelo? Então... a Terra era só 5ºC abaixo do que é hoje. Sim, com a elevação da temperatura nessa época, foram extintos até os dinossauros. E agora, o que será de nós? Somos apenas humanos.
Com 3ºC de aquecimento acontecem degelos, furacões, secas, tormentas e tsunamis. Mas, sejamos francos, isso já está acontecendo na Terra. É preciso uma mudança radical nas estruturas econômicas mundiais. Só assim a elevação da temperatura ficará entre 1,1 e 2ºC. Pelo menos é sustentável!
Não dá para esperar as ações do Protocolo de Kyoto. Cada um tem de fazer a sua parte. Precisamos parar com a destruição das florestas e da camada de ozônio. Somos todos responsáveis, sim. A responsabilidade reside em cada “eu” e torna-se “nós” na grandiosidade da ação. Se eu paro de usar o carro por uns dias, reciclo o lixo, uso sacola de pano (deixo de lado os saquinhos plásticos) e escovo os dentes enquanto tomo banho de 5min, já colaboro com a Terra.
Parece fácil! Simples mudança de hábito. Mas isso é para ser feito todo dia. O Chefe Seattle, na carta que escreveu ao homem branco, disse que o que fizermos a Terra ela fará para nós e que não somos os donos dela. Essa mensagem foi escrita há séculos, em 1854. Sapiência de um chefe indígena.
Cada um responde por seus atos (do latim responde significa “eu garanto”). Seja responsável pela volta da harmonia terrestre. Plante uma arvore. Parece simples, plantar árvores... mas isso ajuda, e muito. Eduque as crianças enfocando a preservação ambiental. Elas serão os adultos de amanhã.
Depende de nós se elas viverão em paz no futuro ou não. A Terra está machucada e sangrando vamos suturar esse machucado com fios de amor e dedicação. Cada um com seu jeito e talento. Com pensamento positivo para um planeta melhor. Harmonizar as vibrações mentais em uma oração constante de amor à Terra.
E, assim, cada um de nós seremos notas musicais entoando a sinfonia da vida. Se você pensar “Eu não estarei aqui para ver isso” você já perdeu o valor humano. Se você pensar “Eu vou me programar para ajudar a Terra” seja bem-vindo a corrente do bem.
Rita Elisa Seda
www.vejosaojose.com.br

Nenhum comentário: