PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 17 de março de 2010

Aninha de Goiás





Acabo de ler “Cora Coralina, Raízes de Aninha”, obra de Rita Elisa Seda em que ela divide a autoria com Clóvis Carvalho Brito, publicado pela Idéias e Letras. Trata-se de biografia da poetisa e doceira goiana, fruto de intenso trabalho de pesquisa. Escrever sobre alguém de vida tão profícua e de tamanha representatividade para as letras brasileiras é tarefa que requer coragem e competência. Coragem para apresentar fatos novos que podem destruir mitos criados sobre a vida de Dona Cora. Competência para fazê-lo à sombra deste grande nome da literatura brasileira. Rita mostrou coragem em vasculhar arquivos e gavetas, perguntar e colher respostas diante de dificuldades de toda sorte e olhares severos daqueles que se sentem donos da "melhor verdade dos fatos”, mostrou a mesma competência de sempre ao traduzir essa montanha de informações de uma vida trilhada tão intensamente em texto agradável e cativante. Definitivamente uma biografia à altura da vida e obra de Cora Coralina. Recomendo a leitura e agradeço à Rita por mais essa.



MÁRIO LUCIO SAPUCAHY



Nenhum comentário: