PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































terça-feira, 16 de março de 2010

SEDE




Faço-me tua sede
-labirinto e aconchego-
Onde a chegar aprendi.

Faço-me este teu silêncio,
Quando o que desejas
É a algaravia dos prédios
Que nos rodeiam.

Faço-me este cristo arrependido,
Esta alma de cordas e cerdas,
Este aprendizado inútil,
Do que é dor, do que é saudade.

Faço-me em ti,
Quando o que mais queres
É estar em mim.



Benilson Toniolo




Paulista de Santos, nasceu em 1968 e vive em Campos do Jordão.
Participou ativamente do movimento literário santista do início dos anos 90 e atuou na Secretaria Municipal de Cultura.
Formado em Hotelaria pelo SENAC, atualmente é aluno do Curso de Letras da UNIP.
Autor de uma dúzia de livros ainda inéditos, entre poesia e prosa, é membro da Academia de Letras de Campos do Jordão, União Brasileira de Trovadores e União Brasileira de Escritores.
Fundador do Centro de Ação Literária de Campos do Jordão, onde edita o CAL, informativo literário cujo objetivo é divulgar o trabalho de poetas iniciantes.
Publica seus textos no blog http://blogdobenilson.blogspot.com











Nenhum comentário: