PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































sexta-feira, 23 de abril de 2010

Cadê as histórias que estavam aqui?...

Atenção minhas queridas crianças...

Certa noite em minha biblioteca (que não é assim... tão pequena), escutei um misterioso som, era assustador, como se algo estivesse devorando o mundo.
Corri até as prateleiras e para meu espanto – um enorme Lobo abocanhava a sessão de histórias infantis. Foi doloroso ver os livros meio comidos espalhados pelo chão. Em um espasmo de satisfação o Lobo Mau arrotou algumas letras que logo se juntaram formando a palavra: SOCORRO.
Pressenti a extinção do mundo das histórias para as crianças. Num átimo de segundo peguei o Maravilhoso Livro de Magia Infantil e soltei um velho amigo, o Sábio Mago encantador de lobos e dono das palavras.
Ele, todo poderoso, munido de uma lanterna mágica, hipnotizou o lobo com um facho de luz paralisante. Chegou perto da fera e puxou-lhe a língua, abriu espaço, e focou a garganta do enorme animal.
As historias infantis ao serem iluminadas, cientes de que era a hora da liberdade, se agarraram em cada facho de luz e deixaram de ser domínio da fera.
Cada palavra que saía... um pouco o lobo diminuía, até que todas se salvaram e o lobo ficou tão pequeno que mais parecia uma formiga.
Em uma genialidade ímpar, o mago iluminou os livros, recompondo as histórias em cada folha vazia. Guardou a lanterna e voltou para sua própria página... recheada de palavras.
Assim, queridas crianças do meu coração, se vocês um dia encontrarem na estante de livros uma formiga – cuidado! peguem uma lupa e vejam se é formiga mesmo... pode ser o minúsculo lobo, querendo encontrar a página onde está o velho, careca e espetacular Sábio Mago das palavras, para comê-lo juntamente com sua lanterna mágica, tentando assim... reverter essa história.

Rita Elisa Seda
(História guardada para Seishum e Yasmin, queridos netos do meu coração, que passeiam na minha mágica biblioteca)

Nenhum comentário: