PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































sexta-feira, 23 de abril de 2010

Palestra da poeta Zenilda Lua

São José cultiva em seu Campo Literário uma flor de Alfazema que surgiu em noite de luar. Ela é pura luz.  Ir à essa palestra é compartilhar alegrias... pode ter certeza!

Um comentário:

jorge manuel brasil mesquita disse...

SEREI TRILHO DE POEMAS
NA PAISAGEM ECOLÓGICA
DA MINHA LÓGICA
QUE É FEITA DE VELHAS PENAS
E FLUTUA NO OLHAR
DE QUEM FAZ DO LUAR
A RAZÃO DOS SEU TEOREMAS
EXPOSTOS À LUZ DAS CENAS
QUE SÃO O PALCO DESTA VIDA
NO CHÃO DA FOLHA CAÍDA
QUE CANTA SEM CANTAR
AS VERTIGENS DA PALVARA TECIDA

nINGUÉM (jORGE mANUEL bRASIL mESQUITA
24/04/2010 - 13H29 - bIBLIOTECA nACIONAL

ETPLURIBUSEPITAOHIUS.BLOGSPOT.COM