PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































terça-feira, 24 de agosto de 2010

ÁRVORES QUE VALEM UMA PROSA JOSEENSE!

Amanhã, dia 25 de agosto, e depois de amanhã, dia 26, ministrarei um workshop a respeito das árvores que têm causos, lendas e histórias na cidade de São José dos Campos.
Vamos nos encontrar para uma boa prosa? Aposto que cada um tem uma ‘estória’ referente a uma árvore importante em sua vida. Se você for uma dessas pessoas, apareça lá para conversarmos, vai ser uma troca de vivências.
Será no Espaço Cultural Flávio Craveiro, rua Lênin, 200, Dom Pedro I. Das 14 ás 16hs. Conto com você.
Saiu hoje no jornal O Vale um aperitivo sobre o workshop, espero que gostem.
Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, biógrafa, fotógrafa e jornalista.



6 comentários:

Silvinh@ disse...

Rita Elisa,
Esta sua iniciativa, de mostrar através de um workshop que, as árvores têm causos, lendas e histórias (da cidade de São José dos Campos), é digna de aplausos, é de tirar o chapéu. Como sempre, você preocupada; e através de seu trabalho, procura socializar suas experiências com amigos e com a sociedade. É você, colaborando com os talentos que Deus te deu, para melhorar o mundo. É você, ousando e agindo mais uma vez, com olhos de amor pela preservação da natureza, do patrimônio histórico, da cultura do povo, em favor da sociedade. Que bom poder contar com pessoas como você, com sensibilidade ímpar. Isso é muito bom amiga!!! Não basta ser escritora, cronista, biógrafa, fotógrafa, jornalista, não é???rsrsrsrsrsrs...É isso aí Rita Elisa! Você é um exemplo, para a cidade de São José dos Campos, de luta pela preservação de árvores raras, como está que você citou na reportagem acima: “Figueira de Santana”. Se colocar num trabalho como este, de resgatar o folclore, através da preservação, do patrimônio histórico de uma cidade, é incentivar as novas gerações a conhecer cada vez mais a sua cidade e difundir a cultura. Só tenho que parabenizá-la!!!
Mais uma vez, você brilhando!!! Pessoalmente, não estarei aí escutando os causos, as lendas e histórias; que você tem pra contar para o povo joseense, mas espiritualmente, sim. Estarei rezando e torcendo por você, Rita Elisa!!! Que o Espírito Santo te ilumine!!!

Beijos, forte e carinhoso abraço!!!

Silvinha

Rita Elisa Seda disse...

Silvinha esse meu olhar para as árvores é fruto da educação que meus pais me passaram. Já plantei várias árvores. Em Goiás aprendi muito sobre as árvores do cerrado. Aqui em SJCampos eu fiz um resgate fotográfico das árvores que são destaque na cidade, isso em 2001, o que me rendeu uma linda exposição. Desde o começo de 2010 escrevo para o jornal Visão Vale a respeito delas, com o direito a causos e lendas. Agora vou conversar com crianças, jovens e adultos sobre esse olhar diferenciado para as árvores e suas 'estórias', afinal...toda árvore tem algo para nos ensinar!
Leia no outro meu blog o que postei sobre os pacifistas da humanidade! Beijos, felicidades e a paz!

Profª Ludmila Pena Fuzzi disse...

Parabéns pelo blog, venho selecionando blogs temáticos que trabalhem na linha social, educacional, informativo e cultural. Sou presidente do Instituto de Pesquisa Histórica Regional (http://www.iphrpesquisa.blogspot.com/, vamos montar um banco de dados com páginas com conteúdo como a sua parabéns. Já estou te seguindo, o meu blog é: http://www.profludfuzzi.blogspot.com/

Rita Elisa Seda disse...

Olá Ludmila, fique à vontade em Palavras de Seda, pretendo depois da publicação dessa série de crônicas africanas, colocar no blog as crônicas eminentes às árvores que contam histórias e 'estórias' em São José dos Campos. Começarei na primavera. Visitarei seu blog, com certeza! Felicidades e a paz!

Gilberto Gonçalves disse...

Oi, Rita!
Sinto-me por demais honrado em tê-la como seguidora do Na Era do Rádio.
Cheguei a esta conclusão ao visitar este seu blog e encontrar nele esta teia cultural sendo tecida com uma profunda sensibilidade.
Tomara que o Na Era do Rádio possa merecer comentários seus de elogio e apreciação!
Voltarei outras vezes.
Abraços, Rita.
Gilberto.

Rita Elisa Seda disse...

Olá Gilberto, sua A Era do Rádio me transportou para lugares lúdicos, onde voltei a ser criança do Sul de Minas. Felicidades e a paz!