PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































domingo, 22 de agosto de 2010

EUGÊNIA SERENO

Sônia Gabriel e eu finalizamos nossa pesquisa a respeito de Eugênia Sereno, nasceu o livro “Eugênia Sereno, a Menina dos Vagalumes (resgate folclórico do Paraíba ao Sapucaí)”. São muitas inovações que, tenho certeza, norteará a conduta dos amantes da literatura, não só pelo folclore contido em O Pássaro da Escuridão, mas pelo exemplo de vida dessa magnífica escritora. Foram quase quatro anos de pesquisas. Novidades?!... muitas.
Agradeço a todos que nos apoiaram e nos ajudaram nesse resgate ao folclore do Vale do Paraíba e Vale do Sapucaí.
Saiu hoje, no jornal O Vale, uma matéria referente a nossa pesquisa, espero que gostem.

4 comentários:

Silvinh@ disse...

Rita Elisa...

" A PERSISTÊNCIA é o caminho do ÊXITO". Charles Chaplin

Desejo a você, sucesso profissional sempre, realizações pessoais, saúde, amor, sabedoria, discernimento, coragem, paz, êxito, inspiração, confiança, enfim, tudo o que há de melhor!!!

Tenha uma semana cheiiiiiinha das Bênçãos de Deus!!!

Beijos, forte e carinhoso abraço!!!
Silvinha

Rita Elisa Seda disse...

Verdade, Silvinha, não se consegue algo ficando parado. O que vale na vida é a caminhada! Ao chegar... começe a caminhar novamente, sempre há novidades mais a frente!
Beijos, felicidades e a paz!

Zenilda Lua disse...

Duas lindas que não sofrem de limites
eu acho é ÓTIMO!
guardei o jornal.
alimento para alma
agasalho pros olhos.
Parabéns por todo BEM.
bjz

Rita Elisa Seda disse...

Zenilda, você é emoção lilás, com cheiro doce de alfaZema, em cada poesia escrita, em cada palavra declamada. Para isso nasce a mulher poeta... construir pontes literárias. Beijos, felicidades e a paz!