PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 18 de agosto de 2010

PROJETOS ATUAIS... PROJETOS FUTUROS!



Nesses anos em que eu li, reli, 'treli'... e muito mais que isso, o livro O Pássaro da Escuridão, muitas cenas de minha infância vieram à mente. Nasci no Vale do Sapucaí, convivi com a culinária, costumes, música e religiosidade citados por Eugênia Sereno. Foi uma volta através do próprio umbigo, à beira do Sapucaí.


Minha alegria foi completa porque tive como parceira a historiadora e pesquisadora Sônia Gabriel. Juntas passamos por todos os caminhos que levam ao Pássaro, mas sem a Escuridão, pois ela foi ‘alumiada’ pelos vagalumes. Diante de obstáculos que nos remetiam à Noite Escura, encontrávamos os tais insetos luzentes a nos indicar o caminho. Magia pura, como foi a vida de Eugênia.

Espero que, através desse livro, as pessoas direcionem um olhar afetuoso para essa magnífica escritora, que, sem sombra de dúvida, foi uma das maiores escritoras brasileiras, igualada ao escritor de Grande Sertão: Veredas, denominada pela crítica literária da época (1965) como Guimarães Rosa de saia.

Como sempre digo, sou poeta. É na poesia que me coloco, minha válvula de escape. Por isso dia 10 de maio, em São Lourenço-MG, diante de muitas novidades a respeito da vida de Eugênia Sereno, tive um momento de ‘transpiração poética’, escrevi um caderno brochura inteiro de poemas para ela. Foi uma catarse de palavras que aliviaram meu coração. Um dia os coloco aqui, vou esperar que leiam o livro primeiro, pois muito do que foi escrito nos poemas só terão compreensão através do conhecimento da vida de Eugênia.

Essa semana fui procurada para escrever uma nova biografia. Mas, preciso de um tempo para acomodar minha vida, até agora sem rotina, anseio por ela. Quando me entrego a um trabalho não vejo a questão do tempo, espaço e nem gasto, vou até onde minhas forças me levarem. Desenvolvi dois projetos biográficos ao mesmo tempo, o de Cora Coralina e o de Eugênia Sereno. Isso além dos meus livros infantis, de poesia, as crônicas para vários jornais, revistas e blog. Pretendo finalizar mais três livros que estão em fase de conclusão e, quem sabe, escrever o tal livro que Hernani Donato me inspirou a fazê-lo, em conversa muito franca me disse para escrever: Nos Bastidores de Raízes de Aninha; colocando o ‘making off ‘; que, afinal, não foi fácil e, o bom... é que tenho tudo gravado!

Projetos e projetos... o que seria de uma escritora sem eles? – Nada!

Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, biógrafa, fotógrafa e jornalista.

8 comentários:

Juci Barros disse...

E o que seria de uma inscritora sem a inspiração de espaços como este?!
Beijos.

Rita Elisa Seda disse...

Juci Barros, só o fato de sermos irmanadas na literatura já é muito bom. Beijos, felicidades e a paz!

Giselle Lourenço disse...

Olá Rita, tudo bem?

Em primeiro lugar, muito obrigada pela honra de ser seguidora do blog Bacia
Literária.
Em segundo, li coisas que estão no seu blog e também no site, enfim, fucei um tanto por lá e fiquei curiosa pois li algo a respeito de ong´s
literárias. Você sabe se existe alguma em São José e se sim, como eu
faria para conhecer?
Desde já, agradeço. Não estou conseguindo te mandar e-mail.. se ouder responder em gilorenbr@yahoo.com.br

Abraço,

Giselle

Rita Elisa Seda disse...

Sempre passo pela Bacia Literária para ler suas 'impressões literárias', ver as fotos, coloridas e lindas, saber dos eventos. Vou lhe mandar um e-mail. Beijos, felicidades e a paz!

Silvinh@ disse...

É isso aí, Rita Elisa!
Parabéns, minha amiga!!!!!!!!!!!!!!
Quando amamos o que fazemos, é impossível viver "SEM PROJETOS"não é???? rsrsrs
ESTOU FELIZ COM VOCÊ, e POR VOCÊ, AMIGA; por terminar mais um trabalho, que COM CERTEZA, irá encantar muitos leitores, como eu; pelo dom que tens de transmitir experiências tão reais!!!
Consigo imaginar, pelo pouco que conheço de suas obras literárias, e pelas suas crônicas; que leio no seu Blog, o momento de ‘transpiração poética’, que teve, e o que você escreveu sobre Eugênia Sereno ( um caderno brochura inteiro de poemas para ela...rsrsrsrsr...).
Acredito que tenha sido um momento mais que mágico!!!
Quando será o lançamento do novo livro? Vou querer um, hein!!!!
Sabe que sou sua fã, né!!! E, depois de ter lido o livro biográfico de Cora Coralina ( Raizes de Aninha), não posso deixar de ler, o de Eugênia Sereno...rsrsrs
Admiro demais seu talento, sua avidez, sua garra....
É lindo, muito lindo ver sua sede de escrever, Rita Elisa!!!
Que Deus te dê cada vez mais inspiração para escrever!
Que nunca te falte a inspiração!!!
Que você saiba equilibrar a razão e emoção sempre.
Que você saiba usar a sua poesia, para melhorar o mundo, e olhar tudo e a todos com olhos de amor.
Que nunca te falte a coragem e a dignidade para pensar, falar, ousar e agir, a favor daqueles, que não tem voz, nem vez na sociedade.
Que Deus ilumine sua mente sempre,sempre e te dê sabedoria para criar crônicas, biografias, prosas e versos...projetos e mais projetos!!!
Torço por você, pelo seu sucesso e progresso!!!
Beijos e forte abraço, Rita Elisa!!!

Silvinha

Rita Elisa Seda disse...

Obrigada, Silvinha por palavras tão gentis... sabe... uma escritora se alimenta de palavras; as suas encheram minha alma de alegria. O livro biográfico sobre Eugênia sairá em breve, está previsto para A Semana Cassiano Ricardo o lançamento. É claro que faço questão que você venha até São José dos Campos para esse evento. Afinal... amiga como você é raridade. Beijos, felicidades e a paz!

Benilson Toniolo disse...

A arte é necessária, Rita, pois a vida não basta. Lembrou do Gullar? Então. O que te desejo, além de te dar um abraço compriiiiiiiiido de alegria, é que sua vida seja longa e profícua. Como sua obra.

Rita Elisa Seda disse...

Querido poeta Benilson,
vida longa só tem direito quem é rei ou rainha. Eu sou réles mortal que se encontra nas letras. Agradeço sua dedicada amizade, pessoas iguais a você fazem a diferença na minha vida. Uma amizade fecundada de poesia traz a magia do sorriso tornando todos os sonhos possíveis. Lhe desejo todas as letras... que estão no seu pensamento... impressas em livros. Felicidades e a paz!