PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































terça-feira, 21 de setembro de 2010

DIA MUNDIAL DA PAZ!

Um dia desses minha filha me telefonou e me perguntou se existe outra palavra mais forte para definir AMOR, pois o que ela sente pela minha neta é algo que até então ela não pode explicar com essa palavra. Argumentou que hoje em dia a palavra AMOR está desgastada, e o que ela sente é algo inexplicável. Por isso procura uma palavra para verbalizar e descrever o seu sentimento. Eu lhe dei mil e uma explicações de que existem ‘estilos’ de amor: Ágape (amor com desprendimento; no tocante espiritual); Eros (amor baseado na aparência física- paixão); Ludus (amor como se fosse um jogo; amor brincalhão); Mania (amor altamente emocional que não tem estabilidade emocional, amor romântico); Pragma ( amor que visualiza apenas o momento e a necessidade temporária, amor do agora); Psiquê (amor baseado nos sentimentos eternos); Storge (amor afetivo que aos poucos de desenvolve, baseado em similaridade). São interpretações do AMOR. Dessa forma chegamos à conclusão de que o AMOR MATERNAL é uma efervescência de alguns deles, onde podemos tirar uma nova fórmula para o amor. Algo que as Mães conhecem muito bem. Dar-se sem reservas, dignificando uma expressão nova, uma palavra que ainda não foi escrita, não foi verbalizada, mas existe no cerne materno.


Com essa mesma conjectura eu procuro outra definição para a palavra PAZ. Hoje é o Dia Internacional da PAZ! Sou pela PAZ. Mas, o que é a paz hoje em dia? Temos a mesma noção de PAZ? Queremos a mesma PAZ?

Há alguns dias eu postei nesse meu blog a intrínseca relação entre a guerrilha em Angola e os armamentos bélicos fabricados no Brasil – VIDA DIREITO DE TODOS. Para esse meu texto eu só tive um comentário, sim... um homem pela PAZ.

Hoje haverá uma passeata em Goiânia pela PAZ. As pessoas se vestirão de branco e sairão às ruas, bandeiras humanas da PAZ. Para mim a cidade de Goiânia é mesmo a da PAZ.

A minha definição de PAZ é a mesma que sempre tive como norte em minha vida: pensar e agir em benefício de todos, sem discriminação racial, religiosa, cultural ou sexual. Também penso que nosso foco não é salvar o Planeta. Nessa Terra os dinossauros e outras espécies já extintas, o Planeta se recompôs, mesmo depois de tantas catástrofes. Precisamos é de nos SALVAR, ou senão, seremos apenas fósseis milenares sepultados no ventre da Terra Mãe. Sem uma viva alma para nos estudar!


Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, biógrafa, fotógrafa e jornalista.

4 comentários:

Silvinh@ disse...

Sabe Rita Elisa, suas explicações sobre amor; dos vários ‘estilos’ de amor, são ótimos!!!
Não tive a experiência, de ser mãe, mas acredito que o AMOR MATERNAL seja realmente uma efervescência de alguns deles, onde podemos tirar uma nova fórmula para o amor, como você afirma. Algo que as Mães conhecem muito bem. Dar-se sem reservas, dignificando uma expressão nova, uma palavra que ainda não foi escrita, não foi verbalizada, mas existe no cerne materno.
Acredito ser ALGO DIVINO.
Mas estava pensando ainda, que podemos pensar no amor, como na carta de São Paulo aos Coríntios que diz: “O amor é paciente, é bondoso; o amor não é invejoso, não é arrogante, não se ensoberbece, não é ambicioso, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda ressentimento pelo mal sofrido, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”! O amor é a regra que resume todas as outras regras e pode ser o nosso guia, se pensarmos e agirmos sempre com amor acertaremos sempre, cumpriremos a lei, e estaremos próximos ao Pai maior, o que de mais importante temos para dar é o reflexo do amor em nossas vidas.
Nos versos da carta de Paulo vemos que o amor o Dom Supremo, é uma coisa composta de muitas outras, tem vários ingredientes que estão em sua alma: paciência, generosidade, humildade, delicadeza, entrega, tolerância, inocência, sinceridade . O Amor não é um Dom em si, mas sim a soma de várias atitudes e palavras de nosso dia a dia. Aprender a amar deve ser o nosso objetivo no mundo, a lição mais importante que temos. E só vamos aprender a amar, neste sentido amplo em que estamos falando, com a prática constante, exercitando nossa alma para fortalecer o nosso caráter e ideias até atingirmos a maturidade espiritual.
O amor Rita Elisa, nutre, esclarece e conforta. É a inspiração de tudo. É a luz do coração. É o que faz o espírito evoluir e transcender. É o que vale a pena!
Paz, o que é Paz??? Certa vez li que: “Paz não significa estar num lugar onde não há barulho, problemas ou trabalho duro. Paz significa estar no meio disso tudo e ainda estar calmo no seu coração.
Este é o significado real da Paz. Mas........acredito ainda que a única paz que satisfaz totalmente o nosso coração é a paz que Deus oferece.
Não aquela paz que nos advém de um meio ambiente sob controle, onde tudo vai bem, mas uma paz que podemos experimentar mesmo que tudo à nossa volta esteja descontrolado e incerto.
A Você Rita Elisa, minha amiga, desejo todo AMOR e PAZ, que vem de Deus!!!
Silvinha

Malu Machado disse...

Oi Rita,

Adorei as definições sobre amor. Bonito ver uma mãe falar assim de sua filha. Outro dia me peguei no meio do dia, em pleno trabalho, com uma saudade danada do meu filho.

Vontade de ficar juntinho sabe, curtindo todo aquele AMOR que ele me oferece. Um amor que também não se enquadra nos conceitos que você levantou e que, ao mesmo tempo, se enquadra em todos. Um amor que dá paz, paz que a Mãe Terra tanto anseia.

Um abraço

Rita Elisa Seda disse...

Veradade, Silvinha... 'O Amor não é um Dom em si, mas sim a soma de várias atitudes e palavras de nosso dia a dia'... como você disse. É através da lapidação diária do amor que ele se torna joia rara. Beijos, felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda disse...

Malú querida, essa vontade de ficar perto do filho é o amor chamando, é o amor respondendo, é a melhor qualidade de vida que podemos TER e DAR. Isso é ser MÃE em potencial, não é porque se está no trabalho que não se é MÃE!... somos MÃE em todas as circunstâncias. Felicidades e a paz!