PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quinta-feira, 18 de novembro de 2010

RITÁPOLIS

Nasci na cidade de Santa Rita, tenho como mãe Rita, primas Ritas, tias Ritas e amigas Ritas, sempre desejei uma cidade com o nome de Ritápolis.


Foi nesse fim de semana, em viagem do tipo ‘sem lenço e sem documento’, junto com meus pais, que encontrei a tal cidade... muitas emoções estavam por vir. Coloco aqui algumas.

 Duas Ritas contentes pela descoberta de Ritápolis...

 Isso mesmo... Ritápolis é Cidade Berço da Liberdade!...





                                                   A praça do Santuário Santa Rita de Cássia é linda...



Com a emancipação de Ritápolis (antes pertencia a cidade de São João Del Rei) a Fazenda do Pombal onde  nasceu Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), pertence agora a esse município. Felicidade para todas as Ritas que lutam pela liberdade em todos os aspectos político/religioso/social.

Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, biógrafa, fotógrafa e jornalista.


Praça Tiradentes

A cidade teve suas origens no século XVIII como vila de abastecimento agropecuário.

A Vila de Santa Rita do Rio Abaixo, como era chamada, foi fundada por tropeiros em 1836 e emancipada em 30/12/1962.

A primeira referência documentada da antiga Santa Rita do Rio Abaixo consta na certidão de batismo de Domingos da Silva Xavier, irmão mais velho de Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), ocorrido em 25/06/1738.

A vila nasceu no início da construção da capela por volta de 1713 que, apesar de descaracterizada devido a um acréscimo frontal ocorrido em 1918, está preservada até hoje. Atualmente o local é denominado Praça Tiradentes em homenagem ao filho maior. Já recebeu o nome de Largo e Arraial. Os séculos de história deixaram alguns exemplares de arquitetura em pedra, pau-a-pique, adobe e tijolos.


A praça estende-se pela rua Santa Rita até o largo do Rosário que, por sua vez, estende-se até o cemitério, numa altitude que varia entre 1000 e 1100 metros. Deste local tem-se uma bela vista, na qual pode-se avistar a Serra de São José e a Serra do Lenheiro, além das montanhas que envolvem as cidades de Resende Costa e Conceição da Barra de Minas. As denominações anteriores da cidade foram: Ibitutinga e Santa Rita do Rio Abaixo.

A cidade tem uma população de aproximadamente 6.500 habitantes de acordo com a última pesquisa realizada pelo IBGE.

Ritápolis é rica em cursos d’água com belos ribeirões e cachoeiras, fator que condicionou as origens pelas atividades agrícolas e pecuárias. Além disto apresenta fazendas do século XVIII e XIX, dentre elas a Fazenda do Pombal onde nasceu Tiradentes que é considerada patrimônio histórico nacional.

Hoje em dia a floresta é aberta aos turistas, onde todos podem desfrutar de momentos super agradáveis, e além do mais ter um contato direto e indireto com um pouco de toda a história, e presenciar momentos de grande paz que o lugar oferece.A vegetação é uma transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado. Há algumas reservas de mata, sendo a do Pombal reserva oficial. O verde predominante ainda não está sendo devastado, acredito devido a consciência dos moradores que valorizam sua terra.




A cidade tem altitudes que variam de 960 (Foz do ribeirão dos Pilões) a 1296 (serra do Valentim) metros e temperatura média anual de 20°C. A geografia local é constituída por planaltos, levemente ondulados e cortado por algumas elevações com ampla visibilidade, tais como o Morro Grande, a Serra da Carioca e a Serra dos Quatro Vinténs, todos próximos do núcleo urbano.

Além das atividades agropecuárias de origem, seu passado recente foi marcado pela extração mineral de cassiterita, tantalita, manganês, etc. Hoje se destaca pela produção leiteira com uma indústria de laticínios, alguns fabricantes de aguardente, agricultura de subsistência, comércio e pequenas marcenarias de esquadrias e mobiliários. Como a cidade é de pequeno porte, muitos de seus moradores acabam migrando-se para outros estados em busca de trabalho e melhores condições de trabalho, pois quanto a condições de vida, a cidade é super valorizada.

Dispersa em seu núcleo urbano, a cidade caracteriza-se por três bairros separados envoltos em um espaço vazio verde. Constitui-se do centro como origem, do Espigão se estendendo até Goiabas a oeste, sendo mais populoso e da Várzea ao sul, caracterizando como acesso principal à cidade. No centro encontramos o conjunto arquitetônico mais expressivo, incluindo a matriz, a igreja do Rosário, a prefeitura, a Casa Grande; o Cine Teatro, a sede musical e vários exemplares residenciais.

Vista como uma cidade, o que chama mais atenção é a baixa densidade demográfica e a cara quase rural e bucólica, onde na paisagem urbana o verde predomina. Além da beleza natural que inclui rios, cachoeiras, montanhas e reservas florestais, Ritápolis possui as ruínas da Fazenda do Pombal. Possui ainda o Balneário do Jaburu, o Hotel Fazenda Cachoeira e uma forte vocação festiva, religiosa, culinária e artesanal.

Em terras ritapolitanas nasceu e foi batizado Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. A Fazenda do Pombal, pertencente aos pais de Tiradentes, se encontra hoje no município de Ritápolis, mas na época de seu nascimento era alvo de disputas entre as vilas de São João Del Rei e São José do Rio das Mortes.

A cidade faz parte da rota da Estrada Real, Circuito Trilha dos Inconfidentes.
http://www.ritapolis.com/



17 comentários:

Silvinh@ disse...

Oi, Rita Elisa!!!
Vocês são privilegiadas, hein!!!
RITÁPOLIS???Nunca ouvi falar...
Que interessante!!! Muito Legal!!!
Que viagem maravilhosa, Rita Elisa!!! Sua mãe me enviou um email, dizendo sobre a viagem de vocês e sobre Ritápolis!!! Estava super feliz!!!rsrsrsrsrsrs
Sair sem lenço e sem documento é bom demais, né!!! Ainda mais com as companhias que você escolheu para esta viagem: Seu pais, pessoas tão lindas, abençoadas e especiais!!!
Eta família que eu gosto e admiro, viu!!!
Puxa, essa duas Ritas são demais!!! Amo muiiiiiiiiiiiiito!!!
Obrigada por vocês fazerem parte de minha vida.
Obrigada por vocês permitirem que eu esteja na vida de vocês também!
Agradeço a Deus pela nossa amizade!
Que Deus dê a vocês, Ritas, toda liberdade que necessitam para viverem com FILHAS de DEUS.
Sabe Rita Elisa, podemos apreciar as belezas que Deus criou e aproveitar cada uma delas.
Podemos ver a vida com o seu colorido.
Podemos voar com liberdade e viver melhor com nossa família, com o próximo, conosco mesmos.
Podemos povoar o local onde estamos com belas coisas, com alegria, bom humor, felicidade. Podemos espalhar a água viva e regar a boa terra que vivemos.
Do interior da pessoa liberta procedem boas coisas, pois o que nos domina é um coração transformado e que quer fazer diferente, fazer a diferença no mundo...

Minha oração hoje por você, Rita Elisa e por sua mãe, é que vocês vivam livres e vivam para Deus! Bênçãos pra vocês, minhas Queridas Amigas Ritas!!! rsrsrsrsrsrsrs
Amo vocês!!!

Beijos, forte e carinhoso abraço...

Silvinha

Antonio Machado disse...

Rita Elisa, você pintou Ritápolis com as palavras. Vitor Hugo descrevia uma batalha e eu ouvia o tropel da cavalaria. Você falou dos ribeirões e cachoeiras e eu escutei a água correndo, respirei o ar puro, vi os capões de mata mineira com seu verde escuro tão característico...
Um abraço
Antonio Machado

Uillas disse...

Obrigado pela divulgação do meu site www.ritapolis.com
Fico muito feliz que meu trabalho,esteja dando bons frutos.
Obrigado pelo carinho

Rita Elisa Seda disse...

Silvinha, querida amiga, como disse foi uma viagem espetacular, vou colocando aos poucos tudo que vimos, como disse minha mãe e meu pai 'parece que vivemos uma semana em três dias', 'dormir tarde, acordar cedo e nos aventurar' era nosso lema. Beijos, felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda disse...

Antônio, vá até Ritápolis, a cidade é encantadora, pois tem muitos atrativos naturais. É tudo de bom. Felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda disse...

Uillas, seu site é maravilhoso, assim como a cidade de Ritápolis, conversei com um ritapolitano que me deu várias informações a respeito da cidade, o nome dele é Ronaldo. Voltarei para explorar mais a cidade. Felicidades e a paz!

. disse...

Gostei de ver a Ritápolis, a cidade das Ritas, mas se preepare pois vou construir a minha IVONÓPOLIS a acalmar meu ego invejoso.

Rita Elisa Seda disse...

Não se preocupe, quando encontrar a cidade de IVONÓPOLIS verá que nela há muitos moradores, todos amantes de uma boa história e 'estória'. Beijos, felicidades e a paz!

Noralia disse...

Rita, amei ler seu texto e ver estas belas fotos. Você me fez conhecer um pouco mais do meu Estado. Já estive N vezes por São João Del Rei, conheço vários pedacinhos de lá, mas não conhecia Ritápolis até agora.Quero um dia chegar a cidade das Ritas. Seu texto motiva.
Abraços,
Norália

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita Elisa querida amiga escritora
Há muitos anos atrás estive em Belo Horizonte e conheci um pouco as cidades históricas, mas infelizmente não registrei em fotos, coisa que hoje sou muito cuidadosa ao fazê-lo, muito embora as viagens ocorram de forma bem reduzidas. Realmente Minas Gerais é como uma caixinha de surpresas - sempre uma novidade à ser descoberta, despertada, encontrada. Lindas imagens, realmente nos deu o desejo imenso de compartilhar e desfrutar dessa companhia doce e terna de voces. Por instantes até consegui estar junto. Você nos coloca em seu universo ao vivo e a cores. E por falar em viagem, nesse final de semana fomos para Avaré, embora num acontecimento inevitável - falecimento da mãe de meu marido - ainda pudemos tirar umas fotos e postá-las no blog http://atecer.blogspot.com/. O que mais me chamou atenção foi a história do sr. Antonio, no Barracão Reciclarte. Um ex-alcólatra que se recuperou, aprendeu e hoje dá aulas de artesanato. É delicioso ocupar este espaço e tecer um pouco sobre minhas experiências. Aliás, tenho muitos poemas, um deles IMAGINAÇÃO fora dedicado ao meu marido, companheiro dos meus belos momentos.

Quando olho seus olhos,
Vejo a alma do poeta:
Poeta que ri,
Que chora,
Que encanta,
Que canta.

Que fala de amores,
Que fala de dores:
Que busca,
Que procura.

Mas...
Quando olho demoradamente para seus olhos,
Lá no fundo me vejo,
A compartilhar experiências de vida:
A descer ao mais profundo do eu,
Para descobrir-me e,
Ao compartilhar as descobertas vividas,
Percebo-me crescer.

Porque...
Da mesma forma que me falas:

“Distante de ti,
em minha imaginação vejo seus olhos
criarem saudades em mim"...

Sei também
Que distante de ti,
Seus olhos criam saudades de mim...

(Inajá Martins de Almeida)

Rita Elisa Seda disse...

Norália querida contista, vá em Ritápolis e colha uma bela lenda para você escrever e publicar em próximo livro. Você é ótima nisso. Beijos, felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda disse...

Inajá, poeta de todas as horas. Mias é mesmo uma caixa cheia de surpresas, todas boas!
Seu poema dedicado ao seu marido me emocionou, como é raro hoje em dias pessoas casadas se ligarem em pensamento como acontece com vocês, que só pelo olhar já sabem o que o outro está sentindo. Sejam felizes!
Sei também
Que distante de ti,
Seus olhos criam saudades de mim...

Que bela história seu Antônio, artista, deve ter contado a você. Vou lá no blog dar uma espiadinha.
Beijos, felicidades e a paz!

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida amiga escritora
Sim, distante de ti, sinto saudade sim. Que bom saber que você percebe o quanto somos significativas uma para outra, ainda que distantes. Esses são os encontros que nos fazem crescer. Ontem foi um dia especial para mim. Pude voltar ao tempo, quando me deparei com um trabalho de uma ex professora nos tempos de faculdade. Recolhi retalhos, alinhavei lembranças e costurei memórias longínquas, de um passado que se tornou tão presente. A simplicidade da época, os amigos inesquecíveis, o tempo jamais apaga. Confira http://blog-inaja.blogspot.com/ Um beijo e até mais. Obrigada pelas palavras carinhosas a mim dedicadas. Realmente Deus foi muito bom e generoso ao me aproximar do Elvio e fazermos do segundo tempo de nossas vidas, os melhores. Até logo mais.

Rita Elisa Seda disse...

Inhajá querida amiga, seja feliz, tanto no segundo quanto na prorrogação. Você vai passar dos 100 anos de idade. Beijos, felicidades e a paz!

Viviane disse...

Rita Elisa, obrigada pelo carinho encontrado ao descrever minha cidade. Sou ritapolitana com muito orgulho, aqui cresci e prosperei profissionalmente. Possuo formação em Pedagogia, estou na educação a 15 anos, atualmente a Educação a Distancia chegou também para mim.
Obrigada, obrigada, com suas palavras, com seu olhar "minha e nossa"Ritápolis, ficou ainda mais bela.
Abraços

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida
Se Deus o permitir e a saúde for favorável, 100 anos em companhias gratificantes e maravilhosas, como meu companheiro, você, meu filho, nora, neta e tantos quantos fazem do segundo tempo de minha vida os melhores, seria muito bom. Quanto a alegria de saber que nosso nome tem significados, a mim me proporcionou gosto imenso, quando encontrei que Inajá significa palmeira e também há cidades com esse nome. Há um poema que dediquei a mim mesma neste ano - Colheita do tempo, no blog www.colheitadotempo.blogspot.com. O poema fala um pouco sobre mim. Não quis colocar meu nome, pois deixei a critério do leitor me encontrar nas entrelinhas. Obrigada pela sua companhia sempre.

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida
Se Deus o permitir e a saúde for favorável, 100 anos em companhias gratificantes e maravilhosas, como meu companheiro, você, meu filho, nora, neta e tantos quantos fazem do segundo tempo de minha vida os melhores, seria muito bom. Quanto a alegria de saber que nosso nome tem significados, a mim me proporcionou gosto imenso, quando encontrei que Inajá significa palmeira e também há cidades com esse nome. Há um poema que dediquei a mim mesma neste ano - Colheita do tempo, no blog www.colheitadotempo.blogspot.com. O poema fala um pouco sobre mim. Não quis colocar meu nome, pois deixei a critério do leitor me encontrar nas entrelinhas. Obrigada pela sua companhia sempre.