PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Histórias sem fim...



















Agradecimentos: ao amigo Prof. Cyrino Júnior, poeta amazonense que tanto abrilhantou a matéria com seu depoimento. Amigo de coração, unidos pelo amor a Cora Coralina. 
Á amiga Profa. Silvia de Fátima Oliveira que escaneou a revista e me enviou por email (bendita tecnologia) já que aqui no SESC SJCampos ainda não chegou a revista.  
Ao amigo fotógrafo David Ballot que fez imagens lindas de Cora Coralina na Casa Velha da Ponte e as reparte conosco.
Aos familiares de Cora Coralina que são a representação maior do legado da poeta/doceira que encanta gerações.


Rita Elisa Seda
Cronista, contista, poeta, biógrafa, fotógrafa, jornalista e pesquisadora.


9 comentários:

Silvinh@ disse...

Rita Elisa, minha querida amiga...que alegria ver mais uma vez seu trabalho sendo conhecido, divulgado, nos mais diversos meios de comunicação.
PARABÉNS!!! EXCELENTE REPORTAGEM!!!
Falar do que se vive, do que se gosta é prazeroso demais, não tem preço; e leva às pessoas que lêem o que você escreve a uma viagem no tempo, no espaço, na história...É tudo de bom!!!
Ouvir você falar de Cora Coralina é bom demais!!! Tive este prazer...Pude ver nos seus olhos, o brilho, o amor, a paixão pelo seu trabalho...por Cora Coralina!!!
Que Deus continue te iluminando, te dando sabedoria, te inspirando...sendo assim, nós, seus leitores seremos presenteados, com livros, como este ( Cora Coralina - Raizes de Aninha)...com certeza!!!

Beijos, forte e carinhos abraço!!!

Sua SEMPRE amiga-irmã...

Silvinha

Rita Elisa Seda disse...

Sim, há um prazer quando falo sobre a pesquisa feita para o livro Raízes de Aninha. Momentos únicos na busca de documentação para aprimorar o livro.
Beijos, felicidades, saúde e paz!

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida amiga

Cora Coralina continua e continuará envolvendo a muitos.

Maravilhosa mensagem de vida sempre.

Falei sobre ela há pouco com os jovens em sala de aula. Maravilhoso. Os olhos brilham percebo, tanto os meus, que que só o percebo olhando-me de dentro para fora, quanto os dos jovens ao meu redor.

As pedras transformadas em flores permanecem constante em nossas expressões. Lição de perseverança.

Confira no blog www.encontrosdepalavras.blogspot.com

Um abraço e até mais / Inajá

Rita Elisa Seda disse...

Querida Inajá, às vezes é preciso plantar muitas flores onde aparecem as pedras, é como a flor drummondiana que rompe o asfalto, trazendo alegria para nossos sentidos, a visão, o olfato, o tato e até mesmo o paladar. Beijos, felicidades, saúde e paz!

anamariadiperes@gmail.com disse...

Amiga, não podia ser diferente, o trabalho de voces foi grandioso serio, merecedor de muitos elogios, Como os demais trabalhos que fazem. Cora mulher coragem poeta e doceira merece sim ser amada e respeitada por todos que fazem da literatura uma viagem da alma por caminhos diversos.

anamariadiperes@gmail.com disse...

Acabei de ganhar um exemplar da revista, pelas mãos do Clóvis obrigada .

Rita Elisa Seda disse...

Ana Maria, você é nossa madrinha de pesquisa, esteve conosco na primeira expedição Paraíso e nos ajudou a resgatar uma página perdida da história coralineana. Obrigada por tudo querida amiga. Agradeço a você e ao Zé Prefeito por nos acolherem como membros da família. Afinal, somos comadres, não é?! Beijos, felicidades, saúde e paz!

Anônimo disse...

Oi
Rita,tudo bem?
cheguei ao seu blog quando digitei a palavra Cora.
Não foi por acaso,não acredito nisso.Um fio invisivel nos une a todos,Cora intuia isso muito bem.
Acabei de ler seu livro Raizes de
Aninha,meus parabens a vc e ao Clovis.Foi bom saber mais sobre essa pessoa maravilhosa.So fiquei com (inveja)porque vc teve o privilegio de estar com ela.Sempre passo por aqui.
Um abraço Elza

Rita Elisa Seda disse...

Olá Elza,
você leu no Raízes de Aninha que duas das melhores amigas de Cora tem o mesmo nome seu?!
Realmente o amor à maravilhosa Cora Coralina unde as pessoas, é um alinhavo sentimental, de quem sabe tirar as pedras do caminho com humildade e amor.
Elza, eu não conheci Cora Coralina pessoalmente, desde 1983 que eu guardava tudo que aparecia a respeito dela em revistas, reportagens na TV, jornais e os livros.
Morei durante seis anos na cidade de Goiás e pesquisei tudo que podia sobre Anna Lins dos Guimarães Peixoto Bretas.
Dessa forma ficou mais fácil escrever em co-autoria com Clóvis esse ensaio biográfico a respeito da vida e obra de Cora Coralina. Pois se eu tivesse convivido com ela seria difícil deixar de ser imparcial, pois para escrever uma obra igual Raízes de Aninha não podia me colocar, e se tivesse conhecido Cora, certamente, eu me colocaria.
Fique à vontade no blog, deixe aqui suas impressões sobre Raízes de Aninha.
Beijos, felicidades, saúde e paz!