PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































domingo, 10 de abril de 2016

PRÊMIO MARGARIDA DE PRATA 2016 CNBB

 






O cineasta Renato Barbieri realiza trabalhos em documentário, ficção, programa de televisão e produto audiovisual com fins educativos. Foi um dos fundadores da “Olhar Eletrônico”, onde dirigiu os premiados curtas: “Do outro lado da sua casa” (1985), “Duvideo” (1987) e “Expiação” (1989). Dirigiu vários programas de TV em rede nacional. Em 1992, fundou a produtora Videografia, onde se aprofundou na produção de documentários, dos quais se destacam A Invenção de Brasília (2001), Atlântico Negro: Na Rota dos Orixás (1998) e Moçambique (1996). Realizou também cinebiografias, como a do escritor Monteiro Lobato e a do cartunista Mauricio de Sousa. Com o longa As Vidas de Maria (2005) fez sua estreia na ficção. Ganhou mais de 30 prêmios nacionais e internacionais.
Diretor e roteirista do longa-metragem Cora Coralina Todas as Vidas (livremente inspirado no livro Cora Coralina Raízes De Aninha), Barbieri recebeu o prêmio Margarida de Prata CNBB – 2016. Não foi a primeira vez que o cineasta recebe essa premiação, em 1999 ele a recebeu pela direção de Atlântico Negro - Na Rota dos Orixás, documentário que faz uma viagem no espaço e no tempo, em busca das origens africanas da cultura brasileira.



 O prêmio Margarida de Prata é oferecido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para filmes brasileiros que ressaltem valores humanos, éticos e espirituais, visando ampliar a consciência crítica e artística do público brasileiro. O prêmio foi instituído em 1967 por ideia de Hilda Azevedo, no Rio de Janeiro.







Todas as Vidas Cora Coralina é uma realização produção da ASACINE; produção de Marcio Curi, Beth Curi e Carmen Flora; Roteiro de Renato Barbieri e Regina Pessoa; Direção de Fotografia de Waldir Pina; direção de arte de Henrique Dantas; Música de Luiz Oliviéri e Eduardo Canavezes; montagem de Neto Borges; direção de Renato Barbieri.


 Elenco: Maju Souza, Walderez de Barros, Tereza Seiblitz, Camila Márdila; com participações especiais de: Beth Goulart, Zezé Motta e Camila de Queiroga Salles (trineta de Cora Coralina).
No longa constam depoimentos colhidos nas cidades de: Goiás, Goiânia, Jaboticabal, Penápolis, Andradina, São Paulo e São José dos Campos.





 Eu e Clovis Carvalho Britto estamos felizes e agradecemos os amigos que se pronunciaram.
Aguardem até a divulgação do lançamento nos cinemas nacionais.
Obrigada aos amigos que compareceram:
Paulo Sergio Brêtas Salles (neto de Cora Coralina)
Dom Eugênio Rixen (Cidade de Goiás)
Padre Evaldo (Aparecida)
Padre Dimas Paula Inácio (Mogi das Cruzes)
Irmão Maciel (Tietê)
Assessores de Imprensa da Editora Ideias & Letras.






















 

Nenhum comentário: