PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 17 de março de 2010

NAS TUAS MÃOS





para Inês


Nas tuas mãos entrego meu desejo

de permanência e silêncio,

à sombra das ocorrências

e rodeado de alheamentos.

Confio a ti a minha trajetória,

meus sonhos inacabados pela ação da covardia,

meu espírito confuso e lamacento

repleto de sacros passados,

sempre a mudar de lugar,

e aumentar a confusão que se estabeleceu.

Nas tuas mãos o que sou repousa sem pressa,

enquanto os barcos não partem.

Em troca, só faço te dedicar palavras soltas,

que ancoro em águas noturnas

das conchas das tuas mãos.

Benilson Toniolo

Nenhum comentário: