PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































sábado, 15 de maio de 2010

EDNALVA, uma poeta joseense!


Ednalva da Silva Pereira

Professor Nelson nos apresenta Ednalva:
uma criança aos 9 anos de idade, um dia escreveu: “tenho em mente realizar um grande sonho, ser escritora”. Adotou um caderno, onde passou a escrever diariamente suas histórias tão criativas. Sem saber onde recorrer, a menina que até então não era levada a sério, guardava-as com carinho e tinha apenas esperança de um dia enfim realizar seu sonho de publicá-las. Cinco anos se passaram e, já em sua fase de adolescente, passa a ter interesse pela poesia, o que a faz adotar um outro caderno para colecioná-las. A menina sempre tão tímida mostrava apenas às colegas e estas admiravam as palavras da pequena poetisa. Um certo dia suas poesias foram lidas pelo professor Nelson, o qual era instrutor de informática na FUNDHAS (Fundação Hélio Augusto de Souza) que se interessou muito pelo trabalho da aluna e ao ver seu grande esforço e o brilho que tinha no olhar quando se falava em realizar seus sonhos, este se ofereceu em ajudar, com apoio deste e outras pessoas a menina aos pouco foi sendo reconhecida... Em janeiro de 2003, aos 14 anos publica seu primeiro livro “Poesia – sua melhor companhia”, o qual teve venda restrita a 100 leitores, havia 36 poesias neste livro. Três anos depois, aos 17 anos lançou seu próximo livro “Poesia – Pensamentos de uma adolescente” com 144 poesias. Ednalva, a “menina sonhadora”, hoje aos 22 anos revive esses momentos de infância com sua filha Beatriz Aparecida de 2 anos, a qual diz ser sua inspiração, e ela afirma que estas histórias infantis, escritas em sua infância, estão sendo lançadas na melhor fase de sua vida. Ao longo de sua infância (9 aos 12 anos), Ednalva escreveu 80 histórias, e hoje ao publicar dez livros desta coletânea, ela realiza mais um sonho “levar incentivo às crianças através de suas palavras educativas”, pois os pequenos devem ser levados a sério, eles têm sonhos e se não incentivarmos, o sonho se perde em algum lugar... diz a autora.

Um comentário:

Fernanda disse...

Muito bonita a trajetória de Ednalva. Seu sonho foi realizado e seu talento apresentado ao mundo. Um livro pode percorrer distâncias...não podemos duvidar do alcance que pode ter uma obra.
Parabéns e sucesso a essa jovem e escritora.
Fernanda
pautajornalistica.blogspot.com