PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































domingo, 16 de maio de 2010

PRECE AOS LIVROS

Meu amigo Ricardo Ruiz me enviou esse poema:







PRECE AOS LIVROS


Peço perdão aos livros,
livros que comprei e não li.
Peço perdão aos livros,
livros que abandonei
sem terminar de os ler...



Peço perdão a Cristo,
perdão por não terminar,
por fechar a Bíblia
antes da última página.
Peço perdão a mim,
perdão pelos livros pensados
sem nunca os ter escrito...

Joaquim Simões
Academia Bauruense de Letras



Um comentário:

Fernanda disse...

Ah os livros...ótimos companheiros de solidão. Uma troca benéfica...eles nos ensinam e nós ávidos aprendizes... absorvermos todo conhecimento que eles nos proporcionam.
Um casamento perfeito!
Fernanda
pautajornalistica.blogspot.com