PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































terça-feira, 3 de maio de 2011

UM RECADINHO AOS MEUS AMIGOS...

Tudo tem seu tempo. O melhor de uma amizade é quando o tempo determina o encontro. Uma verdadeira amizade se mede pelo tempo do conhecimento. Nessa entrelinha do cotidiano onde criamos laços afetivos com as pessoas. Dessa forma eu criei laço com a profª Silvinha, mesmo antes de saber que ela é professora. Nossa amizade floresceu em conversas diárias, por email e por telefone.

Profª Silvinha Oliveira

Toda amizade foge a uma das regras da matemática... a de multiplicar para aumentar; a amizade dividida se multiplica, insisto que se guardarmos um amigo só teremos um amigo, porém, se dividimos o amigo, teremos muitos amigos. Nesta base filosófica eu convivo com os amigos. Silvinha é um caso raro, ela multiplicou-se em centenas de novos amigos.




Alunos da Escola COC Araraquara - SP.

 Profª Daniela Lima e profª Silvinha Oliveira - Escola COC Araraquara-SP.

Todos sorridentes, amantes da literatura e das artes em geral. São alunos e professores da Escola COC de Araraquara que se tornaram meus amigos e com eles eu converso pelo blog Anjinhos da Escola COC de Araraquara. Alguns me cobram a distância física que ainda permanece entre nós, pois já nos conhecemos com os olhos da alma, ao ler alguns poemas deles eu vejo o quanto são sensíveis e amorosos. Digo a vocês que o dia está chegando. Como na frase de Saint Exupery :



Meus queridos amigos... aos poucos estou chegando, pelas nossas conversas, pela apresentação de minha biografia feita pela profª Silvinha, pelos meus livros que já chegaram aí na Escola COC. Depois... só depois... chegará a Rita Elisa para conversar com vocês meus amigos. Não esperem que eu seja estrela pois não sou!... sou folha de Seda que gosta de fazer registros do tempo. Sou apenas uma mulher que gosta de poesia, como vocês me mostram que, também gostam; sou gente que ama uma boa história, como as que vocês sabem contar; sou amiga que vive pelo simples prazer de escrever... como muitos de vocês perceberam e me enviaram comentários por emails.



Acredito que em tudo há um propósito maior. Creio que foi providencial a data para nos encontrarmos. Quanto maior o tempo, mais base solidificará a amizade.
Hoje voltei ao blog e reli tantas e tantas imaginações de vocês a respeito da Lua, aliás, ela nunca mais foi a mesma depois do quanto falamos sobre as fases lunares. Toda vez que vejo a Lua me vem à mente um aluno da Escola COC com uma metáfora diferenciada, com uma história engraçada, com uma abordagem multifacetada, as quais só os que têm alma infanto/juvenil são capazes de criar.

Estou feliz. Isso devo a vocês. Maio é um mês sagrado para mim... agora, então, ele terá um toque angelical, um dia chamado ‘Encontro com os amigos do COC’!
Beijos a todos, felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, biógrafa, fotógrafa e pesquisadora.

6 comentários:

Silvinh@ disse...

Ritelisa, minha amiga-irmã, estou sem palavras e confesso; em lágrimas!!! Muito lindo, profundo e significativo.
\0/\0/" ESTOU RINDO À TOA"!\0/\0/
Quanta sensibilidade neste recadinho tão carinho, aqui no seu cantinho!
Ritelisa, realmente...TUDO TEM SEU TEMPO ...
Me fez lembrar o livro do Eclesiastes 3,1-8:Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.

*Há tempo de nascer, e tempo de morrer;
*tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
*tempo de matar, e tempo de curar; *tempo de derribar, e tempo de edificar;
*tempo de chorar, e tempo de rir; *tempo de prantear, e tempo de dançar;
*tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras;
*tempo de abraçar, e tempo de abster-se de abraçar;
*tempo de buscar, e tempo de perder;
*tempo de guardar, e tempo de deitar fora;
*tempo de rasgar, e tempo de coser;
*tempo de estar calado, e tempo de falar;
*tempo de amar, e tempo de odiar; *tempo de guerra, e tempo de paz...

EU ACRESCENTO:

*TEMPO DE SER E FAZER AMIGOS;
*TEMPO DE CATIVAR E CULTIVAR AMIZADES.

Vejo que o tempo foi um dos fatores que nos levou a uma AMIZADE VERDADEIRA, SINCERA... Bem antes de nos conhecermos profissionalmente.
Com o tempo, nossa amizade foi crescendo, amadurecendo e está se solidificando dia a dia.
Temos como base forte e sólida, a presença de Deus, de Nossa Senhora das Graças, e isto basta.
Amizade em Deus é para sempre...
Tenho certeza que com amiga como você, passamos pelo tempos citados no livro do Eclesiates, sem perceber, com força, fé, coragem, alegira, embora encontremos pedras e caímos muitas vezes...
Ter uma amiga como você Ritelisa, com certeza torna a vida mais feliz.
Sua simplicidade, humildade, seus talentos, seu jeito todo especial de ser e de escrever, com certeza torna a literatura mais prazerosa.
Seja como amiga ou mesmo profissional, você tem feito parte de nossas vidas, da vida de nossos alunos e de nossa escola.
Seja bem-vida, Ritelisa!!!
Nosso blog, nossa escola, nosso corações, já estão escancarados...
Fique à vontade!!!
...só depois...chegará Rita Elisa...está bem mais próximos de nós, do que pensamos ou imaginamos...kkkkk
Enfim..." Se tu vens às quatro da tarde...desde as três começarei a ser feliz."
É assim que nos sentimos...Já felizes...muito felizes em saber que o nosso encontra está chegando.

Beijos, forte e carinhoso abraço.

Sua sempre amiga-irmã,

Silvinha

Rita Elisa Seda disse...

Silvinha, façamos em nosso tempo momentos de felicidade.
Encontrar você, os alunos da Escola COC,a diretora Mônica, os professores e os funcionários dessa linda escola de Araraquara é motivo para um livro.
Escrevo a cada dia uma página para vocês.
Beijos, felicidades e a paz!

Inajá Martins de Almeida disse...

queridas amigas Rita Elisa e Silvinha

Sou feliz duplamente, não há como negar a generosidade de Deus.
Primeiro veio o encontro com você - Rita - depois Silvinha, a qual todos os dias torna meu dia mais luminoso, quando abro a caixa de mensagem e lá encontro uma linda postagem.
Rita, estamos contando os dias para nosso encontro. Silvinha de um lado, organizando um evento maravilhoso, eu do meu lado, buscando palavras para nosso primeiro aperto de mãos, aquele abraço apertado, aquelas palavras que ficarão sufocadas, quem sabe o que mais.
Maravilhosa postagem. Se Silvinha ficou alegre, sem palavras, rindo a toa, eu também não me contive e estou a escrever, bem menos do que gostaria.
Obrigada por mais esta riqueza.
Obrigada por fornecer matéria para mais uma página que se escreve.
Obrigada por nossa amizade.
Um beijo a ambas.

Rita Elisa Seda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rita Elisa Seda disse...

Inajá,ontem à noite a Silvinha me ligou e ficamos conversando quase uma hora. Sabe o que mais nos motivou? O encontro de nós três aí em Araraquara. Nem sei explicar, aliás deveríamos criar uma palavra nova para esse econtro. Na evolução tecnológica do tempo, estamos rompendo barreiras. Antigamente as pessoas se correspondiam por carta e demorava algumas semanas e até meses para uma resposta, atualmente tudo é relâmpago, em um minuto temos as respostas.
Criei o hábito de conversar com amigos pela Internet, fiz um rol de amizade em torno do mesmo núcleo - Literatura. Poucos se dispersaram, alguns continuam, mas sem muita frequencia e, os verdadeiros amigos continuam em sintonia com Palavras de Seda.
Vai ser uma alegria sem fim lhe dar um abraço e conversar olhando em seus olhos.
Beijos, felicidades e a paz!

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida

Fico feliz imensamente por essa amizade, que o tempo não irá apagar.
Conto os minutos para esse encontro.
Quero saber a hora de sua chegada, quero planejar a hora da minha chegada, pois estou me preparando desde já.
Vai ser um encontro memorável digno de muitas páginas num livro; quiçá um livro todo seja dedicado.
Um beijo e até mais.