PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quinta-feira, 21 de junho de 2012

MAR DE AMARES



www.livrariacultura.com.br 



De um extremo ao outro no Vale do Paraíba corre o Rio da Cultura onde podemos navegar  nas águas cristalinas da Literatura Regional. É nele que os amantes da cultura guardam seus segredos, navegam seus desejos, jogam suas redes de sabedoria e conquistam maturidade. 

O rio corre tranquilo em palavras, transborda em poesias, crônicas, mini-contos, contos e romances. Ás vezes eu navego no rio, outras, fico à margem olhando as palavras na correnteza que gera energia. 

Hoje o rio me trouxe uma dádiva, navegando de Campos do Jordão até aqui, veio “Mar de Amares”, para me chacoalhar as ideias, me mostrar que o homem sabe desvendar a mulher através da poesia, sim... esse homem é Benilson Toniolo. 

Ele canta e nos encanta com o lirismo masculino que põe a mostra o encantamento feminino. 

Obrigada, querido amigo. Nessa tarde chuvosa, recostada em minha poltrona, tomando um chocolate quente, olhando pela janela de “Mar de Amares” vejo Sarangerel, Blimunda, Vassilissa, Camoã e Simone como se fossem íntimas de minha solidão vespertina. 

Preencho-me de poesia! Parabéns, Benilson!





Rita Elisa Seda
Cronista, poeta, fotógrafa, biógrafa e pesquisadora.

Um comentário:

Benilson Toniolo disse...

Obrigado, uma outra vez, Rita querida.