PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 24 de agosto de 2016

BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO - 2016

CORA CORALINA RAÍZES DE ANINHA -  SESSÃO DE AUTÓGRAFOS NA BIENAL INTERNACIONAL DO LIVRO DE SÃO PAULO



 Que tal a gente se encontrar neste sábado, na 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo?
 Estarei no estande da Editora Ideias & Letras, no sábado, dia 27 de agosto, às 17h, autografando o livro Cora Coralina Raízes de Aninha.
Será um enorme prazer reencontrar amigos, conhecidos, familiares, e abraçá-los com toda magia coralineana. Afinal: "Os sonhos não envelhecem!"
#EditoraIdeiaseLetras #BienalSP #Bienal2016

sábado, 20 de agosto de 2016

CORA CORALINA: EU SOU A TERRA!


Cora Coralina entregava aos amigos um cartão onde ela escrevia:
“ EU SOU A TERRA!”
Terra, minha primeira e grande Mãe.
Amo-te. Sou tua, pois que fui feita do teu barro imundo.
Meus pés se apoiam na tua firmeza,
enquanto meu espírito procura Aquele que me
criou um dia, para tudo quanto ignoro.
 Sei que vivo em ti, colada ao teu ventre fecundo.
Sei que vivo de tudo que me vem de ti,
através do esforço, do trabalho e da luta.
 Sinto-me integrada em todas as belezas simples e
Incompletas que provém de ti.
Minha biologia é estreitamente da terra e, para a terra.
Terra, minha grande Mater, generosa e fecunda!
De conforto é para o meu cansaço disfarçado de todos,
o  pensamento de que em breve abrirá o teu seio,
a  cava estreita do meu repouso.

 
Cora Coralina
Jornal O Andradina 1944.
In: Livro Cora Coralina Raízes de Aninha, 2009.
          A visão da Mulher Terra que veio do barro e ao seio da Terra voltaria, norteou a vida de Cora Coralina e, impregnou seus escritos com essa sabedoria. Sua sabedoria foi semeada em seus poemas e crônicas, publicadas em jornais e livros. Ela nos deixou esse legado. A semente germinou, cresceu e hoje floresce, como ela mesma havia profetizado "escrevo para uma geração vindoura".
 

Na Campanha da Fraternidade de 1986, o tema foi:

Terra de Deus, Terra de Irmãos.


Objetivo Geral:
A CF convoca-nos para uma ação conjunta de preces, reflexões e mobilização sobre o gravíssimo problema da questão da terra no Brasil a ser solucionado, ou seja, dentro da justiça e da fraternidade.
 
A canção símbolo dessa Campanha da Fraternidade é o poema de Cora Coralina.
Houve uma edição de disco vinil Cora Coralina pelas Paulinas, com declamações e poemas musicados.
Belíssimo!


 
 

Cora era da Secular Ordem Terceira de São Francisco, dentro da religiosidade era ecumênica! Uma visão atual de convivência pacífica entre as religiões.
Este ano de 2016 a Campanha da Fraternidade é Ecumênica.
 
 
O tema retornou à Mãe Terra! Nesse legado de sabedoria, o destino teceu o símbolo do infinito
e Cora Coralina voltou com força total.
Em uma belíssima homenagem à poetisa maior de Goiás, foi magistralmente produzido o filme: "Todas as Vidas Cora Coralina" (livremente inspirado no livro "Cora Coralina Raízes de Aninha"). 
 

 
E para fechar esse ciclo coralineano muitas premiações para o filme: Todas as Vidas Cora Coralina.
Uma delas foi:  Margarida de Prata, CNBB - 2016.
 

Renato Barbieri, diretor e roteirista do filme Cora Coralina Todas as Vidas.
 
 
 
Cora Coralina vive dentro dos que se alimentam da safra de suas poesias e crônicas, semeadas com amor e carinho em cada página de seus livros.
Em sua homenagem foi criado o

Hemerocallis Cora Coralina, em Joinville, Santa Catarina.
 
 
  
 

 
 


 
 
 

 

 

 

CORA CORALINA: EU SOU A TERRA!


Cora Coralina entregada aos amigos um cartão onde ela escrevia:
“ EU SOU A TERRA!”
Terra, minha primeira e grande Mãe.
Amo-te. Sou tua, pois que fui feita do teu barro imundo.
Meus pés se apoiam na tua firmeza,
enquanto meu espírito procura Aquele que me
criou um dia, para tudo quanto ignoro.
 Sei que vivo em ti, colada ao teu ventre fecundo.
Sei que vivo de tudo que me vem de ti,
através do esforço, do trabalho e da luta.
 Sinto-me integrada em todas as belezas simples e
Incompletas que provém de ti.
Minha biologia é estreitamente da terra e, para a terra.
Terra, minha grande Mater, generosa e fecunda!
De conforto é para o meu cansaço disfarçado de todos,
o  pensamento de que em breve abrirá o teu seio,
a  cava estreita do meu repouso.

 
Cora Coralina
Jornal O Andradina 1944.
In: Livro Cora Coralina Raízes de Aninha, 2009.
          A visão da Mulher Terra que veio do barro e ao seio da Terra voltaria, norteou a vida de Cora Coralina e, impregnou seus escritos com essa sabedoria. Sua sabedoria foi semeada em seus poemas e crônicas, publicadas em jornais e livros. Ela nos deixou esse legado. A semente germinou, cresceu e hoje floresce, como ela mesma havia profetizado "escrevo para uma geração vindoura".
 
Na Campanha da Fraternidade de 1986, o tema foi:

Terra de Deus, Terra de Irmãos.


Objetivo Geral:
A CF convoca-nos para uma ação conjunta de preces, reflexões e mobilização sobre o gravíssimo problema da questão da terra no Brasil a ser solucionado, ou seja, dentro da justiça e da fraternidade.
 
A canção símbolo dessa Campanha da Fraternidade é o poema de Cora Coralina.
Houve uma edição de disco vinil Cora Coralina pelas Paulinas, com declamações e poemas musicados.
Belíssimo!


 
 

Cora era da Secular Ordem Terceira de São Francisco, dentro da religiosidade era ecumênica! Uma visão atual de convivência pacífica entre as religiões.
Este ano de 2016 a Campanha da Fraternidade é Ecumênica.
 
 
O tema retornou à Mãe Terra! Nesse legado de sabedoria, o destino teceu o símbolo do infinito
e Cora Coralina voltou com força total.
Em uma belíssima homenagem à poetisa maior de Goiás, foi magistralmente produzido o filme: "Todas as Vidas Cora Coralina" (livremente inspirado no livro "Cora Coralina Raízes de Aninha"). 
 

 
E para fechar esse ciclo coralineano muitas premiações para o filme: Todas as Vidas Cora Coralina.
Uma delas foi:  Margarida de Prata, CNBB - 2016.
 

Renato Barbieri, diretor e roteirista do filme Cora Coralina Todas as Vidas.
 
 
 
Cora Coralina vive dentro dos que se alimentam da safra de suas poesias e crônicas, semeadas com amor e carinho em cada página de seus livros.
Em sua homenagem foi criado o

Hemerocallis Cora Coralina, em Joinville, Santa Catarina.
 
 
  
 

 
 

 
 
 

 

 

 

domingo, 3 de julho de 2016

CORA CORALINA TODAS AS VIDAS - FLIP

 
Acredito na força do amor, acredito que os sonhos não envelhecem. Este fim de semana foi intenso em alegrias e amor. Dois eventos que me trouxeram  ‘palavras novas’... sim, como disse Clarice Lispector: ‘Felicidade é pouco... o que eu quero ainda não tem nome’.

No Encontro na Mantiqueira, no bate-papo com autores, a mediadora me perguntou o que eu ‘sonho’ e eu disse que estou em tempo de ‘realizar os sonhos’. Há muitas décadas eu cultivo um jardim de sonhos e ultimamente ele está florindo, os sonhos se realizando.

O evento de pré-estreia do longa-metragem (documentário- ficção) 'Cora Coralina Todas as Vidas' foi ótimo. Fiz questão de estar em Paraty e junto com amigos assistir ao filme. Quando recebemos amor... doamos amor. Meus amigos estiveram presentes, foram de carro, alugaram vans, ônibus e até mesmo de iate. Todos sorrindo, animados. Durante a exibição do filme houve aplausos, manifestações de carinho pela poetisa maior ‘Cora Coralina’.   Sim... posso ser suspeita para falar, mesmo assim eu digo: o filme é lindo!
A ASACINE é a melhor produtora cinematográfica do Brasil. Renato Barbieri espetacular roteirista. O elenco é maravilhoso, a trilha sonora é sensacional! Dignos de Cora Coralina !

Agradeço os amigos e as amigas que estiveram presentes.

Felicidades, saúde e paz.