PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































sexta-feira, 9 de março de 2007



Os sonhos não envelhecem

Todo sonho é uma realidade interior...e pode se tornar real!
Eu tenho muitos sonhos. Gosto de ficar olhando as estrelas. Às vezes coloco o colchão no quintal e fico durante a madrugada olhando o céu. Sonhando acordada. Numa dessas noites fiquei deslumbrada com o céu de agosto. Maravilhoso. Todo estrelado. Desejei uma estrela para mim.
Na verdade sempre desejei ser Saint Exupéry quando fez aquela aterrissagem forçada no deserto africano. Ele permaneceu a noite toda em uma duna virgem, um lençol imaculado estendido sob a pureza do céu. Ficou olhando, como ele disse, para um aquário de estrelas. E ao voltar seu olhar para a duna encontrou um pedaço de pedra negra.Já imaginaram?! Uma pedra sobre trezentos metros de espessura de conchas moídas. Nas profundezas subterrâneas do deserto sim, existem pedras, mas aquela estava ali em cima, na superfície. Um pedaço de pedra dura, negra, pesada como metal, do tamanho de um punho, em forma de lágrima. Só podia ser a poeira dos astros. Um aerólito, lava petrificada, diamante negro. Saint Exupéry ficou ali deitado imaginando como teria sido uma lenta chuva de astros há milhares de anos.
E eu fiquei me imaginando Saint Exupéry, deitada ali, no colchão, sob o brilho dos astros desejei uma estrela. No desejo adormeci. Sonhei.
Na manhã seguinte, andando pelas ruas de Goiás, o calçamento de negras pedras me prendia a atenção. Meditei... "Sempre que almejamos uma estrela, um sonho, temos que olhar para a terra, para o chão" - pura filosofia balzaquiana. Afinal uma pedra pode ser uma estrela que caiu do céu. Com esse pensamento olhei para as pedras do beco, a surpresa veio em seguida... entre os vãos das pedras havia uma estrela dourada, abaixei-me para fazer a colheita. Estrela estilo filigrama de ouro, fosca dourada, uma jóia. Com o coração pulsando forte apertei a pequena estrela na mão. Seria verdade? Que seria isso? A resposta de meus sonhos?! Sim. Acredito em sonhos que se realizam. E... tenho certeza... os anjos dizem amém.
Tenho esta estrela comigo. Toda vez que me perturbo um pouco, toda vez que sou mais realidade, toda vez que paro de sonhar, volto meu olhar para a estrela que está pendurada no oratório em minha sala. Ela me aponta para a realidade adormecida. Isso não existe? Existe sim. Todo sonho é uma realidade interior. E pode se tornar real. Não há um tempo determinado para isso, afinal os sonhos não envelhecem!
Uma vez li que Deus não pode sonhar e nem desejar nada para si mesmo, pelo simples fato de ser perfeito e possuir tudo. Se por acaso Ele desejasse alguma coisa com certeza não seria Deus. Ele só pode sonhar e desejar para os outros. É por isso que estamos aqui; para sonhar por Ele. Devemos creditar nos sonhos. Ter fé. Ser feliz. Bem disse Clarice Lispector: "O que alarga a vida das pessoas são os sonhos impossíveis".
Impossíveis para a compreensão humana. Realizáveis na vontade divina. Essa é nossa parte mais linda. Concretizarmos nossos desejos. Aceitarmos a felicidade.
Você não sabe?... O sonho é uma profecia que sempre acontece.

© 2007 ValeParaibano. Clique aqui para reprodução e direitos autorais

8 comentários:

Wilson Muller disse...

Querida,
voce me encanta cada vez mais.
Voce sabe que uma das cronicas que mais gosto.
Beijos mil

Luiz de Aquino disse...

O sonho é um caminhar de mãos dadas, sem pressa nem destino; o sonho é o encontro das mãos, que ligam almas. A estrela? Não sei... Talvez seja o lugar onde imaginamos o sonho.

Parabéns, Ritelisa!

Efetivas "Palavras de seda"!

Luiz de Aquino

ivani disse...

Oi!!
Que gostoso ler tantas palavras de Seda ou sedas em palavras ou sedas de Rita ?.. Adorei seu blog!!
abraços !!!
ivani

ivani disse...

Oi!!
Que gostoso ler tantas palavras de Seda ou sedas em palavras ou sedas de Rita ?.. Adorei seu blog!!
abraços !!!
ivani

Inajá Martins de Almeida disse...

Rita querida.
Tenho acompanhado suas postagens mais recentes, mas garimpando, aqui estou. O pequeno príncipe me acompanha. Jamais deixo de me tornar aquela criança que ainda acredita que o cativar é a melhor forma de se relacionar. O tempo que dispomos a cultivar o melhor do outro, quer seja uma pessoa, um animal, uma planta, o céu, as estrelas, a lua, o sola, enfim qualquer coisa que seja, é o que faz o diferencial. Tenho aprendido muito com você. Tenho encontrado muita afinidade. Abraão sonhou com um filho, Deus lhe deu uma geração - e ele se tornou o pai da fé. José pode decifrar o sonho do rei e se tornou o governador do grande império egípcio. Sonhos são possíveis. Jamais devemos deixar de sonhar. Sonho um dia abraçá-la e ao olhá-la fundo nos olhos agradecer por tantos momentos amealhados neste magnífico espaço.

Rita Elisa Seda disse...

Ivani, você é uma amiga para todas as horas. alguns sonhos nós sonhamos juntas. Uma forma maior dos sonhos se tornarem realidades. Beijos, felicidades e a paz!

Rita Elisa Seda disse...

Inajá, esse é uma das minhas crônicas que mais gosto. Tem um porquê, um dia eu lhe conto... beijos, felicidades e a paz!

Inajá Martins de Almeida disse...

Sim Rita querida
Todas nós temos nossos sonhos escondidos que, muitas vezes, nem ao menos podem ser compartilhados, ou até quem sabe partilhados. Porém, como é deliciosamente maravilhoso poder sonhar, porque "o sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso", conforme nos diz o inconfundível poeta português Fernando Pessoa. Um beijo, um grande abraço e muitas felicidades.