PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































domingo, 4 de abril de 2010

poema

VOLTEI
................................................
..........................encontrei na prisão de teus lábios - mudos,
a minha sentença de morte,
protegi tua inocência repulsiva
nos becos escuros da minha coragem,
fugi dos escândalos da tua boa vontade
e, caída de joelhos,
voltei para a prisão..................................................................
.......................................................


Rita Elisa Seda
do livro: Retalhos de Outono (2007)
(obs: a diagramação do poema é essa, com as linhas de pontos)








Nenhum comentário: