PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































quarta-feira, 26 de novembro de 2008

PERSONALIDADE


HECIVAL DE CASTRO


Meu amor pela cidade de Goiás não é recente. E o que mais me encanta são os amigos. Sinto-me em casa conversando com eles. O que mais tem ‘estórias’ e histórias para contar é o Hecival. Na verdade Dr. Hecival Alves de Castro. Ele é uma enciclopédia ambulante, sabe tudo sobre a cidade de Goiás. Quer saber de alguma estória antiga ou atual? Pois bem... pergunte ao Hecival. Sentados na escadaria da Igreja da Boa Morte, no restaurante Braseiro, em minha casa ou a caminho de Pilar de Goiás, ele sempre tem estórias para me contar. Todas com detalhes, inclusive datas, precisas em aspectos vilaboenses.
Aprendi, com ele, a ouvir estórias... aprendi que tudo tem seu tempo, lugar e magia. Ele não sai assim contando a torto e a direito uma estória, ele tem um ritual de cantador. Ele faz seu tempo. Sabe a hora certa de contar uma estória. Valoriza a humildade e dignifica a tradição vilaboense de cantadores.
Por isso não pude deixar de ouvir suas estórias durante esses dias que passei por Goiás. E para meu encantamento fomos até o Gabinete Literário onde o Dr. Hecival me contou a magia daquele lugar. Folheei alguns jornais e livros do acervo literário vilaboense. Atualmente o Gabinete Literário Goyano é um lugar de pesquisa. Antigamente era um centro de debates, conferências e palestras. A mesa, o relógio, os armários de madeira, a cadeira, a cômoda, a pia e até mesmo a escada nos remetem ao século passado. Tudo ali é magia. Fiquei imaginando os grandes nomes culturais vilaboenses passeando pelo prédio: Luiz do Couto, Alfredo Nasser, Colemar Natal e Silva, Constancio Gomes, Amália Hermano, Nice Monteiro, Consuelo Caiado, Cora Coralina e tantos mais. O Gabinete foi fundado em 1864. Durante a revolução de 30 Consuelo Caiado tinha sob seu domínio o Gabinete e não deixou de zelar por ele. Na década de 70 o presidente do Gabinete Dr. Élder Camargo de Passos adquiriu os lindos armários de aço que estão repletos de livros.
São histórias e ‘estórias’ contadas por quem conhece Villa Boa de Goyaz. Convido meus amigos a irem até lá e ouvirem desse menestrel das palavras os causos e contos vilaboenses. Tenho certeza que irão gostar!


Beijos, felicidades e a paz!


Rita Elisa Seda

Um comentário:

Anônimo disse...

Prezada Rita Elisa,
Sou editor do jornal O Vilaboense e gostaria de citar vc e a foto do Hecival de Castro na próxima edição de março, posso??Aproveitando peço que mande texto de uma lauda ou uma e meia para ser publicado mensalmente.Apesar dos desencontros sou seu admirador.
MARCO ANTONIO VEIGA-jornalovilaboense@hotmail.com