PALAVRAS DE SEDA

Escrever é um ato solitário, é colocar-se em palavras. Palavras são como folhas de plátano soltas ao vento... em direção aos novos horizontes, voando irreverentes sem cordas para serem puxadas e sem lugar determinado para pousarem... sempre a favor do vento.
Assim é o ato da escrita, deixar fluir palavras que, voando devagar, ao caírem, adubarão terras distantes.

















































































































sábado, 8 de maio de 2010

UNIÃO QUE MOLDA A ALMA

Hoje saiu no VIVER &, do jornal O VALE, minha crônica a respeito das  Mães! Espero que gostem.
Aproveito para mandar um carinhoso beijo para todas as Mães.





Essa semana recebi muitos comentários sobre 'A Criança e Deus'. Um texto que escrevi sob uma catarse que envolveu minha alma, em um instante de imensa dor... e alegria!

Sei que essa mensagem navega pela Internet desde que foi publicada no jornal 'Visão Vale' há mais de 10 anos. Atualmente recebo muitos comentários e um deles mexeu comigo ontem, foi o de Ângela Marques da cidade de São Paulo: 'Olá!!!Seu texto é muito bonito e mostra sua sensibilidade. Gostaria que realmente todas as mães correspondessem a este anjo apresentado em seu texto'.


Realmente existe a MÃE e a mãe, mas é ela que plasma a vida. Se há mãe que ao dar à luz joga seu filho numa lixeira de praça pública ou pela janela de um edifício, não deixa de ser a genitora. É um e outro caso atípico que a imprensa mostra com estrondoso assédio jornalístico. Penso que a mãe capaz disso tem problemas, pois o ato é proveniente de insanidade crônica ou temporária. Um suicídio. Aquém a esses casos esporádicos estão aquelas Mães do dia-a-dia, a que não aparece na imprensa porque tem de manter a casa limpa, fazer comida e ajudar os filhos nas tarefas (não importa se de 7 ou 70 anos de idade). Mães que sonham com a felicidade dos filhos como se esse dom estivesse em suas mãos, manter o verbo amor conjugado em todos os tempos... e lugares! É como uma profecia maternal: Meu filho, a minha felicidade é a sua felicidade, a sua dor é a minha dor! Um conforto para a vida toda... de ambas.


Ontem reconheci o verdadeiro sentido materno enraizado em uma amiga escritora que passou horas no hospital com sua filhinha de um ano, dando o conforto necessário para restaurar a saúde, isso é coração de Mãe, conhece seus limites, fez o que podia para a melhora da criança, depois recorreu ao profissional da saúde. Isso é amor. Saber que há limite, controlar as variáveis, eu posso isso – e faço!...não houve resultado esperado – vou levar ao profissional de saúde. Sim, Mãe é a profissional do amor. O amor não é egoísta, por isso procurar ajuda não é atestar incompetência, é sim, compartilhar a atenção e carinho para com o filho doente. Também ouvi de outra amiga poeta, até chorou no telefone, que na intimidade do lar, depois de um dia de trabalho, já em sua casa, conversando com sua filha na cozinha, sentiu que era um momento mágico, olhou para a jovem/filha e viu uma mulher, olhou para a mulher/Mãe e viu-se uma criança. Criança que chorou no colo da filha e pediu para que ela ficasse sempre daquele jeito, do lado dela. É essa cumplicidade Mãe/filho(a) que molda a alma materna. O amálgama uterino fez com que ficassem unidas, ligadas em liga forte de aço, uma dependente da outra... sempre! Isso não quer dizer que uma tem de estar grudada na outra a vida toda, isso quer dizer que seja lá onde uma estiver a outra sentirá o que se passa com ela, seja bom ou ruim. Essa é a ligação maior do ser humano, um presente divino!


Toda Mãe é especial, aquela que cometeu alguma atrocidade com o próprio filho é digna de pena e psiquiatra. É uma alma pedindo socorro! Aquela que chora escondido para não se mostrar triste ao filho, que ri de qualquer besteira que o filho faz, que ao fim do dia quer apenas um carinho filial, que briga por um lugar ao sol – para o filho; conhece os mistérios da Vida! Pois sabe que depois da maternidade ela ficou poderosa, sua força vital aumentou, tudo pode, e o melhor... tudo faz em prol de sua cria!

Rita Elisa Seda
Mãe, avó, cronista, romancista, poeta e fotógrafa.





Com vocês a mais nova criação poética de Antônio Marcos Pires. Para homenagear as Mães, ele que tem um livro maravilhoso Mensagem para as Mães, fez esse aqui hoje, pensando em você... Mãe.



Dia das Mães!

Dia das mães é todo dia!
É vida! É brilho! É felicidade no coração da gente!
É sempre alegria. Música animada.
Noite enluarada! Branco de paz! Dia lindo demais!
Dia das mães é todo dia!
Mãe é cheiro envolvente. Infância guardada
na memória que anima as lembranças presentes!
Mãe é mulher cativante.
Pedra preciosa guardada a sete chaves dentro do peito.
Dia das mães é todo dia!
Só elas têm o dom de fortalecer cada vez mais
os laços de amizade, prestando solidariedade.
Mãe é energia positiva que
está sempre presente dentro do coração da gente!
Mãe é o ser mais importante de nossas vidas!
Mãe é amiga, consola, dá colo, carinho,
aconselha, vibra e dá muita energia em todos
os momentos da nossa vida!
Dia das mães é todo dia!
E neste dia especial, quero dizer a minha mãe,
de forma bem sincera, que como o meu amor por ela,
não tem igual!
É transcendental!Primordial! Imortal!

Mãe, presente de Deus!
Mãe não cobra, não exige e não reclama, pelo contrário, doa, soma, torce, transborda compreensão e sentimento. Derrama bênçãos, perdoa os deslizes, guia os passos e não espera nada em troca. Mãe é exemplo, colo, carinho, cumplicidade, amizade, fraternidade, lealdade e felicidade. Mãe, sentimento puro, abençoado.
Presente de Deus! É o amor incondicional.

 

Antônio Marcos Pires,



Dia 04 de maio, nasceu a pequena Gabriela para a felicidade da família Pires. Agora são:  Kátia, Yasmin, Larissa, Gabriela e Antônio.
As bençãos de Deus estão constantemente regando esse jardim... dando paz, saúde, amor, prosperidade e alegria. 
(Olha a cara de satisfação da Mãe, a ternura das irmãs e o pai com cara de assustado... afinal são quatro mulheres em casa).






5 comentários:

Yasmin disse...

Rita Elisa estamos felizes e agradecidos. Meu pai gosta muito de você.

Rita Elisa Seda disse...

Yasmin, querida amiga, você deve estar muitoooo feliz em ter agora ao seu lado um tesouro chamado Gabriela. Sei que vai cuidar dela. Amei ver sua carinha na foto. Uma família feliz e saudável. Diga à sua mãe que desejo-lhe um Feliz Dia das Mães! Abraço a todos vocês. Seu Pai é um poeta especial.

Zenilda Lua disse...

Querida Poeta
Ler-te é encontrar uma textura sonora nos recantos mais calmos de poesia e ouro.
Feliz Dia das Mães
Feliz todos os dias...
Sou tua adoradora de muito longe.
cheiros maternais

Rita Elisa Seda disse...

Zenilda, sua alma materna é mais sensível que a da maioria das Mães. Talvez por causa de seu olhar poético. Feliz Dia das Mães para você!

Mistérios do Vale disse...

Que seríamos de nós sem esses rebentos que nos completam tanto? Lindo, Rita, o que escreveu. Não me esqueço daquela mãe maravilhosa que nos descreveu com tanta propriedade seus quatro filhos.
Paz e bem!
Sônia